O site do Gourmet trabalha com tecnologias recentes e seu browser pode não suportar todos os recursos.
Sugerimos que atualize a versão do seu navegador para ter acesso a todo o site.
Fechar esta notificação
Compartilhar Compartilhar Compartilhar Compartilhar

Contedo de   Anonymus Gourmet :: 

Bolinho de Batata Recheado

por Anonymus Gourmet

26/03/2018 14:16     26/03/2018 14:17

INGREDIENTES

MASSA

• 1kg de batata inglesa
• 2 ovos
• 1 xícara de farinha de trigo

RECHEIO

• 1/2kg de guisado
• 2 cebolas picadas
• 2 tomates picados
• 2 dentes de alho esmagados
• Pimenta-do-reino a gosto
• Sal a gosto

MODO DE PREPARO

• Cozinhe as batatas e, ainda mornas, passe no espremedor de batatas.
• Adicione os ovos e a farinha, misturando bem com a batata esmagada para obter uma massa consistente, bem firme.
• Deixe descansar.
• Enquanto isso refogue o guisado, com as cebolas, os tomates e os demais temperos, dourando bem.
• Acrescente um pouquinho de água e deixe cozinhar, procurando obter um guisado bem seco.
• Com a massa das batatas esmagadas, faça rodelinhas com a mão (que deve estar polvilhada com farinha de trigo, para não grudar).
• Abra a bolinha de massa e coloque no meio, como um recheio central, um pouco do guisado, fechando depois e procurando dar uma forma de cilindro ovalado.
• A seguir, passe na farinha de trigo, frite em gordura bem quente e escorra em papel absorvente.
• Após, a massa ter dobrado de volume, modele os pãezinhos. Distribua em uma forma untada e enfarinhada, pincele a gema e leve para o forno preaquecido a 180 graus por 40 minutos.
• Sirva os pãezinhos com manteiga ou geleia de sua preferência.


DICA DO ANONYMUS - A propósito de álcool e literatura. O equilíbrio parece estar com Charles Baudelaire, logo ele, um extremado. Nas páginas de Paraísos Artificiais, o grande poeta fala de “volúpias perigosas e fulminantes do vinho”, mas também não esquece o “sol interior que o deus da videira desperta”. Acreditava que o vinho se parece com um homem: não se saberá nunca de quantos atos sublimes ou perversidades monstruosas ele é capaz. Por isso, Baudelaire aconselhava que não sejamos mais cruéis com o vinho do que somos com nossos semelhantes. O justo é tratá-lo como um igual.

Comentários