O site do Gourmet trabalha com tecnologias recentes e seu browser pode não suportar todos os recursos.
Sugerimos que atualize a versão do seu navegador para ter acesso a todo o site.
Fechar esta notificação
Compartilhar Compartilhar Compartilhar Compartilhar

Contedo de   Saboreando com a Camila :: 

Ah, o Justo!

por Camila da Rosa Severo

22/02/2018 15:56     22/02/2018 17:13

Abriu um lugar novo em Porto Alegre e o Bernardo me convidou para ir depois do trabalho, no fim de tarde, com o seguinte descritivo: “parece ser diferente, cool e com preços justos”. Adorei, mas assim que soube que era no “centrão”, meio que torci o nariz. “Ah, é muito trânsito para chegar, ruim para estacionar...”. Tá, vocês devem estar pensando: “que feio, Camila!” Feio mesmo e me arrependeria muito, mas muito mesmo, se tivesse seguido este meu péssimo instinto inicial! Os motivos? Olha aí...

Além de o trânsito ter fluido muito bem e do carro ter ficado em um estacionamento quase do lado, o Justo fica nas escadarias do viaduto da Borges, sabe? Eu acho aquela parte um charme e, apesar de falarem que a segurança não é das melhores, o clima estava convidativo, com pessoas circulando, bebendo cerveja artesanal em um estabelecimento próximo e começando a povoar o Justo. Aliás, assim que entrei, gostei! Simples, diferente e com preços realmente atrativos, tem uma decoração peculiar, com espaços com sofás e tapetes (tipo a casa da gente, sabe?), outros com mesas e cadeiras e ainda dá para sentar fora... Nada combinando e tudo agradável!

Já o cardápio é sucinto, com aquilo que todo mundo ama e também algumas pérolas, como os sanduíches. Aliás, parem tudo e prestem atenção: que sanduíche, minha gente! O de porco à pururuca, maionese verde e limão siciliano fermentado no pão ciabatta de longa fermentação (R$ 20) é algo que, sem exageros, a cada mordida ia me fazendo mais feliz. Sério, eu nunca comi algo igual. Vocês podem gostar tanto quanto eu ou não, mas é de fato diferenciado e a mistura de sabores é de arrasar! Ah, ele não é tão grande, então dá para comer dois quando a fome está de matar! Mas, aí vocês vão me perguntar: o preço não era justo? É sim, pessoal, é só, em vez de pensar só no tamanho, lembrar os ingredientes que os caras usam! O outro sanduíche que experimentei e vale também cada mordida (e sacia mais!) é o de almôndega, molho vermelho e queijo no pão fofinho (R$ 20). Mas, perto do de limão siciliano, tenho que admitir que quase perdeu a graça.

Para acompanhar, o Bernardo pediu um drink que eu nem lembro o nome, pois achei amargo demais e passou batido. Já eu ia de café passado (que é refil!), mas acabei indo de água filtrada, que é de graça e a gente pega direto no filtro. Antes de ir embora, quase na porta, não aguentamos o cheirinho se espalhando e pedimos a fatia da pizza de calabresa que vimos entrando no forno assim que chegamos. De tamanho bem generoso, custa R$ 10 e é fininha e crocante. Além disso, como eu sou doida por bolos (não torta, bolo!), levei para casa um de polenta (leiase: milho), que é uma das minhas paixões e não me decepcionou em nada!

Por fim, um adendo que achei bacana: quando a gente entra no lugar, vê a marca Panfácil por tudo. E logo a gente entende... É que o pessoal do Justo faz questão de mostrar que usa farinha nacional de qualidade e de mostrar que foi graças à parceria que fizeram com esta marca gaúcha que conseguem oferecer os preços camaradas do cardápio. Legal, né!?


JUSTO 741

Onde: Escadarias da Borges de Medeiros, 741, Centro Histórico, Porto Alegre.

O que tem: o lugar é um mix de padaria, confeitaria e restaurante... Tem pães (que passam 24 horas fermentando com fermento natural), bolos, focaccias, muffins, pizzas, sanduíches, café, etc. O bacana é que tudo é feito lá mesmo, como eles se orgulham em dizer e fica evidente no espaço: “com farinha nacional”.

Na próxima: quero experimentar a focaccia (a apetitosa e generosa fatia custa R$ 8), a pizza de vegetais defumados (R$ 10 a fatia e falaram que os vegetais são crocantes) e também a tábua de pães e almôndegas.

Curiosidade: um dos seis sócios do lugar é o Adelino Bilhalva, vencedor da Batalha dos Cozinheiros de Buddy Valastro (Record e Discovery h&h).

PS: fiz poucas fotos, depois acabei apagando do meu celular. Então, o jeito foi invadir o Instagram deles e colocar algumas aqui para vocês verem do que estou falando ;) Mais em: (51) 3574-1233 ou Instagram @justo71 ou Facebook: /justo741


Comentários