O site do Gourmet trabalha com tecnologias recentes e seu browser pode não suportar todos os recursos.
Sugerimos que atualize a versão do seu navegador para ter acesso a todo o site.
Fechar esta notificação
Compartilhar Compartilhar Compartilhar Compartilhar
  • Adriana Silveira

    Ol! bom encontrar voc, pois temos algo em comum: a paixo pela gastronomia. Sou uma jornalista apaixonada pela cidade onde nasci, Gramado, e pela Regio das Hortnsias. A gastronomia sempre esteve presente nas matrias que produzi nestes mais de 15 anos de carreira. H oito anos esse tema conquistou uma coluna de gastronomia no Jornal de Gramado e desde ento estou sempre em busca de algo peculiar - e saboroso! - para dividir com os leitores. A partir de agora, a coluna ganha espao no Caderno Gourmet, ento estaremos juntos compartilhando lugares, histrias e sabores da Serra!

Contedo de   Blogs#Adriana Silveira :: E o pioneirismo

Gramado

E o pioneirismo

01/03/2016     14h08

Olá leitor do Caderno Gourmet! É bom encontrar você, pois temos algo em comum: a paixão pela gastronomia e tudo o que envolve esse universo. Sou uma jornalista apaixonada pela cidade onde nasci, Gramado, e por esse lugar incrível chamado Região das Hortênsias. A gastronomia sempre esteve presente em minhas pautas nas incontáveis matérias que já produzi sobre turismo nestes mais de 15 anos de carreira aqui na Serra. Mas há oito anos esse tema conquistou o espaço que merecia: fui presenteada com uma coluna de gastronomia no Jornal de Gramado e desde então estou sempre em busca de algo peculiar – e saboroso! – para compartilhar com os leitores. A partir dessa edição a coluna ganha espaço no Caderno Gourmet, então estaremos ainda mais próximos!
Hoje escolhi falar sobre um tema que tão bem traduz o espírito dos gramadenses: o pioneirismo. A cidade, que tem no turismo o espelho da sua economia, também pode ser traduzida por histórias de homens e mulheres pioneiros. Jayme Prawer entregou a Gramado algo precioso, o primeiro chocolate artesanal do Brasil. “...a curiosidade me move!”, afirmava ele. Obstinado em criar um produto que conquistasse ao paladar e também aos olhos, durante quase quatro décadas ele viu seu sonho se tornar real pelas mãos de artesãos. Hoje, essa experiência pode ser vivida por quem visita a fábrica onde o chocolate Prawer ganha formas e texturas variadas.

Comentários